Arquivo de '#Twilight10th:'



No último dia do especial de Crepúsculo, trazemos um artigo feito pela nossa equipe! Crepúsculo é, claramente algo muito importante para nós do Kristen Stewart Brasil. O site começou graças ao filme, passamos a acompanhar a Kristen e a trazer notícias para vocês por conta do filme. Pessoalmente, fizemos muitas amizades no fandom e descobrimos novos traços de nossa personalidade por conta do filme. Além do impacto causado em nossas vidas, Crepúsculo causou um grande impacto na indústria cinematográfica e literária. Obrigada por tudo, Crepúsculo! Amaremos essa saga para sempre.

Há anos dez anos atrás o cenário da indústria cinematográfica estava prestes a mudar. No dia 21 de novembro de 2008 estreava nos Estados Unidos o primeiro filme de uma saga que provocaria algumas quebras de paradigmas em Hollywood e, principalmente, permitiria a abertura de portas para as adaptações de tantos outros livros do gênero young adult.

Crepúsculo, o primeiro filme da nossa amada Saga Crepúsculo, não foi feito como um blockbuster – que são os filmes de alto orçamento e que possuem uma divulgação gigantesca por todo mundo -, mas sim como um filme independente, com parcos recursos. Ocorreram muitas improvisações em virtude disso, como conta a diretora do filme, Catherine Hardwicke, no livro de anotações lançado em 2009 pela Intrínseca aqui no Brasil. No livro também, a cineasta oferece dicas e conta curiosidades sobre a adaptação dos livros para as telonas.

Por exemplo, a película só utilizou o famoso chroma key em duas cenas: naquela em que Bella está nas costas do Edward após ela dizer que sabe que ele é um vampiro porque a 1º unidade do filme não pôde ir a Silver Springs gravar a cena e a outra foi aquela cena do “You better hold on tight, spider monkey”, que ocorre na primeira visita de Bella a casa dos Cullen.

Além disso, outra conquista extremamente importante de Crepúsculo foi que, à época, o filme quebrou o recorde de maior bilheteria no final de semana de estreia de um filme dirigido por mulher, e apenas no final de semana de estreia arrecadou mais de 70 milhões de dólares somente nos Estados Unidos e a bilheteria mundial total ultrapassou os 390 milhões de dólares. Esse marco e essa arrecadação não era esperada por ninguém. O orçamento da película foi de apenas 38 milhões de dólares.

Em entrevista recente ao The Daily Beast sobre a comemoração de 10 anos de lançamento do filme, Catherine falou sobre as baixas expectativas em relação ao lançamento da adaptação e como isso teve relação com sua contratação, visto que a indústria cinematográfica é extremamente machista até os dias atuais. “Ninguém achou que esse filme se tornaria uma franquia blockbuster. As expectativas eram muito baixas porque outros estúdios haviam recusado o roteiro. […] Por que você acha que eu consegui o trabalho? Por que eles contrataram uma diretora? Se eles achassem que o filme seria um grande blockbuster não teriam me contratado porque nenhuma mulher havia sido aceita para fazer um filme nessa categoria”, relembrou a diretora.

Sob essa perspectiva, vale ressaltar que após 2008 outros livros voltados ao público jovem adulto conseguiram a luz verde para serem adaptados para as telonas, como Percy Jackson (2010), Jogos Vorazes (2012), Divergente (2014), Academia de Vampiros (2014), Maze Runner (2014), entre outros. Infelizmente, nenhum deles, assim como os outros da Saga, foram dirigidos por mulheres.

A ideia para o livro de Crepúsculo veio a partir de um sonho que a Stephenie Meyer teve. A autora sonhou em junho de 2003 exatamente com aquela cena da campina em que Bella e Edward conversam. Por ter ficada muito apegada à situação, ela decidiu registrar e o que havia sonhado e, após isso, ficou intrigada querendo saber mais sobre aquelas pessoas que havia sonhado. Por isso, criou o universo que conhecemos de todo os quatro livros.
Na estrada para a adaptação do primeiro livro, muitas mudanças foram propostas por aqueles que estavam encarregados do roteiro. O estúdio que estava originalmente com o projeto era a Paramount e quando eles encomendaram o roteiro, queriam um filme de ação, que a Bella fosse uma estrela do atletismo e que o pai da Bella morresse, por exemplo.

A Catherine em entrevista ao LA Times contou que para o desenvolvimento do projeto da Paramount e da MTV, o roteirista só tinha uma ideia geral porque o livro ainda não havia sido lançado. Quando ela foi inserida no projeto que estava com a Summit, leu o livro e viu que não fazia sentido o que estavam fazendo, por isso, sentou com a Melissa Rosenberg, que havia se tornado a roteirista e que virou a responsável pelo desenvolvimento das cinco adaptações, e criou a história que chegou aos cinemas.

“Era legal o bastante que quando eu li, eu fiquei curiosa. Eu terminei e li os livros e fiquei, “Whoa, cara. Jogue o roteiro fora e vamos começar de novo.” Para ser justa com o roteirista original, ele é um ótimo escritor, o livro ainda não tinha sido lançado na época que a MTV e a Paramount estavam desenvolvendo o filme. A ideia de Crepúsculo era apenas um ponto de partida e eles fizeram sua própria história depois disso”, relembrou a diretora.

Em relação à escolha do elenco, Catherine havia visto Kristen em Na Natureza Selvagem (2007), que, apesar de seu papel pequeno no filme, a diretora ficou encantada com a atuação dela, especialmente na cena dentro do trailer em que ela olha intensamente para o personagem do Emilie Hirsch. Com isso, Catherine se deslocou até Pittsburgh, onde a atriz estava filmando Férias Frustradas de Verão (2009) e foi conversar com ela no domingo, seu único dia de folga das gravações. Bom, o resto é o resultado que conhecemos!

Já que essa primeira batalha para a escolha do casal principal estava terminada, havia chegado o momento de achar o Edward Cullen perfeito. Muitos atores fizeram o teste com a Kristen para o papel, mas o que se destacou e mostrou ter a química perfeita com a atriz foi o Robert. A Kristen teve que fazer um teste de mais ou menos uma hora e meia com os cinco finalistas e ao final, ela virou para a Catherine e disse: “Tem que ser o Rob!”.

Oficialmente, Kristen foi anunciada como Bella em 16 de novembro de 2007. Já o Robert foi anunciado como Edward quase um mês depois, em 11 de dezembro de 2007. Em 19 de fevereiro de 2008, a Summit anunciou quem interpretaria os outros membros da família Cullen. Para o papel de Jacob, por sua vez, a Summit publicou a chamada para o personagem em janeiro de 2008 e a escolha de Taylor foi anunciada em 21 de fevereiro de 2008. Em abril, a Stephenie Meyer publicou a lista completa do elenco em seu blog.

O filme começou a ser gravado em fevereiro de 2008, em Portland, no Oregon, e durou 44 dias, terminando em maio.Algumas cenas tiveram que ser regravadas e outras adicionais incluídas em agosto e o filme ficou pronto em outubro. Após tudo isso, houve a divulgação do filme em Roma, Paris, Japão e Canadá. A premiere oficial em Los Angeles ocorreu no Mann Village Theater in Westwood, em 17 de novembro de 2008 e contou com a presença de boa parte da equipe envolvida no projeto. O DVD foi lançado em março de 2009.

Além do legado que Crepúsculo deixou na indústria cinematográfica como um todo, o filme permitiu que os dois protagonistas passassem a ter um nome de peso em Hollywood. Kristen e Robert já faziam filmes, isso é fato e não pode ser contestado. Contudo, após o lançamento do primeira película, a carreira de ambos mudou para melhor. Ambos tornaram-se queridinho do cinema independente e permitiram que muitos filmes vissem a luz do dia por serem as estrelas deles.

Para a carreira da Kristen, que possuía mais filmes em seu currículo e já era razoavelmente conhecida no cinema independente, Crepúsculo fez com que seu nome fosse ainda mais forte nesse cenário. Atualmente, ela é reconhecida por sua qualidade de atuação e por seus trabalhos com excelentes profissionais, além de estar prestes a dirigir seu primeiro longa-metragem. A atriz teve a honra de ser a primeira atriz americana a receber o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no César – prêmio francês que equivale ao Oscar.

Sobre os dois, Catherine falou ao The Daily Beast que no passado se sentia culpada pela forma como Crepúsculo havia afetado a vida pessoa de Kristen e Robert. No entanto, olhando para os últimos anos, ela agora tem uma visão mais positiva sobre a situação. “Ambos encontraram uma forma de lidar com tudo isso e permaneceram verdadeiros com eles mesmo. Eu os via como essas crianças legais, indie e com gosto muito interessante em música. Por conta de Crepúsculo, os dois conseguiram com que vários filmes independentes interessantes fossem feitos. Eles foram capazes de transformar a fortuna e a fama no tipo de arte que eles estavam mais interessados”, contou Catherine.

Portanto, revisitar o que Crepúsculo promoveu para Hollywood é bonito, inspirador e faz com que se pense seu verdadeiro valor. Ao todo, foram feitos cinco filmes que arrecadaram mais de três bilhões de dólares ao redor do mundo e permitiam que diversos atores se tornassem conhecidos. Tendo em vista que não era esperado nada do primeiro filme, esses números impressionam

Atualmente, quase sempre se é pensada uma adaptação de um livro jovem adulto para o cinema é porque a Summit aceitou e ofereceu o roteiro de Crepúsculo à Catherine e ela, de coração aberto e apaixonada pela história, adaptou da melhor forma possível para as telonas. É importante ressaltar também como os atores abraçaram o universo e interpretaram cada personagem com carinho e qualidade.

Nessa perspectiva, portanto, é necessária uma especial menção aos protagonistas porque sem a química deles e a amizade que se formou entre eles o filme não seria o mesmo. A forma como Kristen e Robert deram vida à Bella e Edward mostra o compromisso de ambos com essa história. Tudo foi feito com primazia, amor e carinho.

Assim sendo, neste 21 de novembro de 2018 deve-se celebrar os dez anos de uma história que marcou uma geração, acalentou o coração de muitas pessoas ao redor do mundo e permitiu que pessoas se tornassem amigas. Por isso, pegue a sua pipoca, seu DVD ou Blu-Ray, chame seus amigos, e assista essa obra-prima para celebrar seus primeiros dez aninhos de vida!

Artigo por: Jackelyne Amaral – Equipe Kristen Stewart Brasil

No último vídeo do documentário especial dos 10 anos de Crepúsculo, Catherine Hardwicke e Jackson Rathbone visitam a floresta, o campo de baseball e a famosa casa dos Cullen em Portland.

Na segunda parte do documentário de 10 anos de Crepúsculo, Jackson Rathbone e Catherine Hardwicke visitam o Carver Café, em Portland, onde foi gravado o filme. Assista:

Na primeira parte do documentário especial de Crepúsculo contida no DVD comemorativo, Jackson Rathbone e Catherine Hardwicke visitam a escola onde serviu de locação para o filme, 10 anos depois.

Em entrevista para a Vanity Fair, a diretora de Crepúsculo, Catherine Hardwicke, falou sobre os impactos que o filme fez em sua carreira. A revista destaca os feitos do filme na bilheteria e como Hollywood trata mulheres cineastas até o dia de hoje. Confiram mais uma tradução do especial de 10 anos de Crepúsculo abaixo:

A diretora Catherine Hardwicke estava apenas semanas antes do começo da produção de Crepúsculo, sua adaptação em 2008 do best-selling de vampiros, quando ela recebeu um recado alarmante do estúdio do filme, Summit Entertainment. ”Eles chegaram até mim e disseram, ‘Você precisa encontrar um jeito de cortar US$ 4 milhões do orçamento nos próximos quatro dias, ou vamos parar a produção,” ela lembrou em uma entrevista recente, 10 anos após a estreia do filme.

Hardwicke e sua equipe correram pelo roteiro, apagando sequências de ação, tirando efeito e cortando tudo o que podiam do orçamento já pequeno. Ao todo, eles gastariam US$ 37 milhões – incluindo o marketing e a compra dos direitos do livro de volta da Paramount. Hardwicke permaneceu com esperança que uma vez que os executivos vissem o que ela tinha que cortar para atender suas demandas – grandes acrobacias e pedaços do cenário, ou seja, a mágica dos filmes de franquia – eles iriam perceber o erro.

Infelizmente: ”Eles não voltaram atrás,” Hardwicke disse, rindo. ”Eles disseram, ‘Ótimo, que bom que você cortou.’ E então fizemos o filme.”

Uma década depois, ainda é milagroso o que Hardwicke conseguiu fazer com esse orçamento. Crepúsculo, a história de uma adolescente que se apaixona por uma família impossivelmente bonita – agora sendo celebrada com uma edição especial em Blu-ray e 4K pela Lionsgate – fez assustadores US$ 69 milhões de dólares no fim de semana de estreia. Eventualmente, arrecadou US$ 393 milhões mundialmente, gerando mais quatro filmes e uma moda de franquias jovens adultas que iniciaram séries como Jogos Vorazes e Divergente, assim como a franquia Cinquenta Tons, que foi baseada em uma fanfiction de Crepúsculo, e a carreira de sucesso das estrelas Kristen Stewart e Robert Pattinson.

Nada mal, considerando que um executivo disse para Hardwicke uma vez que seu filme podia ser interessante, no máximo, para 400 garotas em Salt Lake City.

”Eles continuaram dizendo para manter o custo baixo, mas foi uma tempestade perfeita na época,” a diretora disse.

Summit inicialmente recrutou Hardwicke baseados em seu trabalho anterior, histórias corajosas sobre adolescentes, como Aos Treze e Os Reis de Dogtown. A empresa deu a ela cinco possíveis roteiros, incluindo Crepúsculo – e ela rejeitou todos. ”Eu não respondi a nenhum deles,” ela disse. ”Eu apenas joguei todos no lixo.” Não foi até ler o livro Stephenie Meyer que ela percebeu que Crepúsculo tinha potencial. Enganchada pelo romance sem esperanças, Hardwicke retornou para a Summit e perguntou se ela poderia fazer o filme, contanto que pudesse refazer o roteiro. Ela conseguiu o sinal verde.

Desse ponto, ela começou a procurar por estrelas para interpretar os principais: uma adolescente e o vampiro que ela ama. Ela encontrou Bella em Stewart, naquela época uma estrela no circuito independente que tinha acabado de fazer o memorável Na Natureza Selvagem. Para encontrar o Edward perfeito, Hardwicke fez testes de química entre Stewart e quatro possíveis co-estrelas. ”Foi como uma central de encontros às cegas,” Hardwicke disse. ”Eu conhecia Michael Angarano, namorado dela na época, porque ele estava no meu filme Os Reis de Dogtown, então eu me senti um pouco culpada. Tipo, meu Deus, eu estou fazendo sua namorada beijar esses outros caras!”

Hardwicke e Stewart eventualmente decidiram por Pattinson, outra estrela em ascenção que o maior crédito até agora era Cedric Diggory em Harry Potter e o Cálice de Fogo. Mas após conseguir o papel, o jovem ator quase estragou tudo quando chegou a hora de ganhar os executivos da Summit. Ele apareceu na reunião desarrumado, com uma camisa suja e com o cabelo mal pintado por conta de seu último trabalho.

”Ele estava um pouco desgrenhado,” Hardwicke admitiu. Os executivos não estavam impressionados: ”Esse cara pode ficar bonito? Ela lembra da pergunta. Hardwicke convenceu a eles de que com uma limpeza, ele seria transformado em uma estrela de cinema bonita e etérea. Eles entraram na onda e a adaptação em ação. Uma franquia de vampiros brilhantes nascia.

Depois do sucesso do filme, Pattinson e Stewart instantaneamente ascenderam ao estrelato completo. Embora ambos pudessem ter ficado com blockbusters, eles ganharam elogios da crítica ao se interessarem por filmes menores após seus anos de Crepúsculo. Hardwicke decidiu não dirigir o segundo filme, porque exigiria uma reviravolta muito apertada; se ela tivesse aceitado, ela não teria tempo de respirar após a pós produção e divulgação do primeiro filme. (Crepúsculo estreou em novembro de 2008, Lua Nova chegou aos cinemas apenas um ano depois.)

A diretora inicialmente não estava preocupada com o que viria depois para ela. Afinal, ela tinha feito um blockbuster enorme com um orçamento relativamente apertado, cortejando uma série de novos fãs no processo; devia estar chovendo ofertas.

Mas Hardwicke percebeu que ela não entrava nem no quadro de certos projetos. Ao invés disso, ela ficou parada enquanto seu filme avançava – sem ela, ou diretores como ela. Após o sucesso de Crepúsculo, Hardwicke nota, vieram mais quatro da saga, três Divergentes, quatro Jogos Vorazes – e ”nenhum dele foi dirigido por uma mulher! Ela disse, ainda incrédula. ”Isso quebrou o meu coração. Há outras mulheres incríveis por aí que poderiam ter feito esses filmes.”

É um problema que vai além do gênero jovem adulto, Hardwicke apontou.

Hollywood tem tendência de dar projetos escritos e estrelados por mulheres para homens: ”Há muitos projetos assim,” ela disse, listando vários exemplos. ”E continua. São histórias escritas por mulheres, sobre mulheres, e com um homem dirigindo. De novo, de novo e de novo.”

Hardwicke é grata, pelo menos, por não ser mais a única mulher a lançar uma franquia de blockbuster; Sam Taylor-Johnson, que dirigiu o primeiro Cinquenta Tons, e Patty Jenkins, de Mulher Maravilha, pegaram a tocha. ”Patty chutou o traseiro de todo mundo,” Hardwicke disse, apesar de Jenkins só ter conseguido a chance após um longo tempo. Quatorze anos se passaram entre o ganhador do Oscar Monster e o lançamento de Mulher Maravilha. Hardwicke, também, tem uma lista surpreendentemente pequena de créditos desde Crepúsculo: alguns episódios de séries, dois filmes independentes e A Garota da Capa Vermelha, uma reimaginação de estúdio sobre o conto de fadas estrelando Amanda Seyfried. O filme de 2011 acabou desapontando na bilheteria e sendo massacrado pelos críticos, diminuindo o momento renovado na carreira de Hardwicke.

Mas após esse período, sua lista está cheia novamente; ela recentemente completou uma adaptação em inglês do suspense mexicano Miss Bala, estrelando Gina Rodriguez e Anthony Mackie, que será lançado pela Sony, e está trabalhando em um projeto de fantasia chamado Dissonance.

Hardwicke está chamando atenção dos produtores que a procuram em eventos e contam sobre os projetos femininos que estão trabalhando. Geralmente, no entanto, quando ela pergunta se alguma diretora está a frente do projeto, eles negam. ”Já encontrei produtores que disseram, ‘Nós tentamos ter diversidade.’ Você tentou, e contratou um homem branco novamente. O quanto você tentou?” ela perguntou.

Hardwicke suspirou. ”De qualquer jeito, pensamento positivo.”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

12