Kristen Stewart interpretará a astronauta Sally Ride em sua estreia na televisão com a série The Challenger. Sally foi a primeira mulher e membro da comunidade LGBTQ+ a ir para o espaço, além de ajudar na Comissão Rogers. O estúdio Amazon MGM está perto de fechar negócio para produzir e exibir a série. Kristen também assume o papel de produtora executiva ao lado de nomes como Steven Spielberg. Saiba mais:

Kristen Stewart fará sua estreia na TV em The Challenger, uma série limitada em que interpretará Sally Ride, a astronauta e física que se tornou a primeira mulher americana a ir para o espaço. Ela fez isso como parte de uma turma de astronautas do ônibus espacial da NASA de 1978, a primeira a ser diversificada e não composta totalmente por homens brancos.

A Big Swing Productions de Kyra Sedgwicks desenvolveu e levou o projeto para a Amblin e está na produção executiva com a Amblin Partners de Steven Spielberg e Stewart por meio da Nevermind Pictures. Darryl Frank e Justin Falvey, da Amblin, também são produtores executivos.

Maggie Cohn será a roteirista e showrunner, seus créditos incluem American Crime Story, The Staircase e Narcos: México. Esta tem sido a propriedade em alta no leilão de TV desta semana, e a Amazon está próxima de fechar o negócio.

A série é baseada no livro The New Guys, escrito por Meredith E. Bagby, que se une à Sedgwick e Valerie Stadler na Big Swing. Elas também são produtoras executivas.

De certas formas, a série possui a tapeçaria para contar a história que sucede The Right Stuff, que foi baseada no livro de Tom Wolfe sobre o choque cultural que ocorreu quando os melhores pilotos de caça do mundo, e os mais arrogantes, se jogaram na corrida espacial entre os Estados Unidos e a Rússia. Bagby conta a história de um grupo que foi apelidado por seus antecessores de “Os Novatos F*didos”, quando a NASA buscou diversificar seus pilotos e tripulações para o programa do ônibus espacial. Ride foi a primeira mulher e membro da comunidade LGBTQ+ a ir para o espaço. Também no mesmo programa estavam os primeiros astronautas negros e asiático-americanos e um casal. Eles passaram por todos os testes rigorosos para se tornarem os melhores da turma, e egos, ambições e romances fizeram parte do choque cultural. Eles também eram bastante brilhantes.

Em 1983, Ride foi a primeira mulher americana a voar no ônibus espacial e se tornou uma celebridade instantânea. A felicidade durou pouco, no entanto, quando três anos depois, o ônibus espacial Challenger explodiu 73 segundos após o início da subida, matando todos os sete membros da tripulação. Ride então se tornou a única astronauta a fazer parte da Comissão Rogers, uma comissão presidencial para investigar o desastre, e mais tarde foi divulgado que ela identificou os problemas com os anéis de vedação que ficavam rígidos em temperaturas baixas, o que causou a explosão. Ride morreu de câncer aos 61 anos em 2012, uma verdadeira heroína americana.

A esperança é preparar a série para ser lançada próxima ao aniversário do desastre do Challenger, que aconteceu 38 anos atrás, em 28 de janeiro de 1986. Para Stewart, isso é a continuação da evolução de sua carreira que começou após os filmes da Saga Crepúsculo, na qual se estabeleceu como uma atriz mais assistível e versátil.

Num momento em que o mercado anda parado, como um pacote dos sonhos como esse acontece? Sedgwick explica que foi um projeto muito caseiro, e não um que acontece da noite pro dia:

“É algo em que Meredith, Valerie e eu temos trabalhado na Big Swing desde 2017, um projeto sobre a nova turma de astronautas recrutados pela NASA no início da década de 70”, disse ela. “Sally Ride estava entre eles, e o foco é neste grupo insano de astronautas recém-recrutados que era muito diverso. E pegando uma carona em Oppenheimer, também conta a história da Comissão Rogers que investigou o desastre do Challenger, que Ride também fez parte. Meredith Bagby cresceu na Flórida e era obcecada pelo espaço e pelo ônibus espacial, e ela também assistiu a explosão do Challenger. Meredith tem centenas de horas de entrevistas com os membros daquela turma, e nós temos um relacionamento com todos os astronautas vivos e eles serão alguns dos nossos consultores na série.”

“Ela escreveu o livro e ele entrou na lista dos mais vendidos”, Sedgwick contou ao Deadline. “Queríamos muito contar essa história na forma de uma série limitada. Nosso objetivo na Big Swing é contar histórias conhecidas de uma nova perspectiva e ponto de vista. Tive um relacionamento com Maggie Cohn, e ela se apaixonou pelo livro. Valerie sonhava em conseguir Kristen Stewart, e após mais de um ano tentando fazer o livro chegar até Kristen por meio de sinais, ela leu e se apaixonou. Conseguir Kristen e Maggie foi incrível para uma produtora que ninguém conhece ainda. Somos três garotas com um sonho.

“Então pensamos: nada melhor do que trazer Steven Spielberg para ajudar a contar essa história incrível de astronautas que inspiraram as viagens espaciais para a nova geração. Eles nos ajudaram a preparar a proposta que foi apresentada ao mercado, e tem sido extremamente competitivo e estamos perto de fechar negócio.”

Fazer de Stewart a peça principal também foi interessante, já que a TV não era uma obsessão da atriz.

“Ela nunca fez TV, mas quando leu, ficou obcecada em contar a história de Sally Ride de sua própria perspectiva que nem vou tentar parafrasear porque Kristen é muito eloquente”, disse Sedgwick. “Ela foi tão impressionante nas reuniões de proposta e foi uma grande parte do porquê tem sido uma competição tão grande. Ela é tão convincente e estava tão entusiasmada para contar a história de uma heroína americana que precisou esconder quem era naquela época.

Quem melhor para interpretar Sally Ride do que uma das melhores atrizes da geração dela? Como dizem em Hollywood, a paixão vence hoje em dia. A paixão de Kristen pela produção executiva é grande. Ela tem sido tão persistente para vender a série quanto nós fomos para entregar o roteiro para ela.”

Embora Sedgwick esteja associada de maneira mais íntima com os negócios, foi Stewart que interpretou esse papel no processo de proposta.

“Agora quando todo mundo diz que ninguém está comprando nada, ela não dava ouvidos e nem nós, porque se ouvíssemos todas as vezes que nos disseram que isso seria muito difícil, o projeto não teria saído do papel. A Amblin falou primeiro, Maggie foi ótima e, quando passaram para mim, eu passei para a Kristen e fiquei muito orgulhosa dela porque havia acabado de assistir Love Lies Bleeding. Estávamos todas nisso para ganhar.”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil