Kristen esteve hoje em Cannes para a estreia de seu primeiro filme como diretora Come Swin, a atriz concedeu uma entrevista para o The Hollywood Reporter durante a Press Junket onde falou sobre ser diretora, as regras de moda no Festival de Cannes e mais. Confira:

“É definitivamente um código de traje distinto, certo? As pessoas ficam muito chateadas se você não usa saltos ou algo do tipo. Mas eu sinto que você não pode pedir isso as pessoas mais, se você não esta pedindo homens pra usar salto e vestido, você não pode me pedir isso também o que é bom porque é diferente. Há 4 anos atrás não era nem um questionamento, você tinha que usar um vestido e salto. Mas agora é incrível, você não pode fazer isso mais. Porém ao mesmo tempo, tipo… eu sou super social com que eu vou vestir essa noite, eu escolhi a duas semanas atrás. Obviamente é sobre cinema, mas é um lugar legal de mostrar os produtos.” 

“Eu definitivamente queria externalizar um sentimento muito interno, tipo, é uma daquelas coisas que se você está super triste sobre algo ou tem sido abalada por algum tipo de força motriz, alguma coisa que de repente é errada e agora você ta tipo, eu nem sei como viver, estou andando pela água, me sinto completamente saturada, eu não consigo participar de coisas normais. Basicamente se você está com o coração partido ou você chega a uma certa idade e de repente se sente muito ansiosa, sem saber como ser normal. Essa dor excessivamente grandiosa é tão normal. Todo mundo passa por isso. Então eu queria ver esse um dia sobre a perspectiva dele e depois a nossa, que é, você sabe,  alguns feedbacks e as luzes acesas. E você ta tipo, cara você é meio patético e triste, e todos nós já passamos por isso.” 

THR: Sendo que você viu o filme com uma audiência no Sundance e agora vai assistir novamente aqui em Cannes, é diferente estar com uma audiência em um filme que você dirigiu e um que você atuou?  Kristen: Sim, eu não sinto que eu estou servindo… eu não tenho responsabilidade com ninguém. Normalmente eu venho aqui e estou tipo ‘cara, eu espero que eu diga as coisas do jeito certo, eu espero que seja conciso e eloquente porque essa pessoa trabalhou tão duro.’ Geralmente eu estou representando um diretor que quer que as coisas sejam ditas de um certo modo, não que seja algo que você foi informado a dizer, mas tipo segurar aquilo para a pessoa me deixa muito nervosa. E nesse caso é: me pergunte qualquer coisa, eu não sei se posso te contar, eu nem acho que é uma grande coisa.