Durante a conferência de imprensa de Billy Lynn’s Long Halftime Walk em Nova York, Kristen foi questionada sobre as visões de sua personagem no filme, Kathryn, contra as guerras. Confira a resposta da atriz:

Kristen Stewart diz que ela não acha que a visão da jovem mulher que ela interpreta em Billy Lynn’s Long Halftime Walk são comuns na maior parte da geração atual.

No mais recente drama do diretor Ang Lee, Stewart (26) interpreta Kathryn, a irmã de um soldado de 19 anos que retorna temporariamente para casa no Texas como um herói após a Guerra do Iraque.

Enquanto Billy se preparada para ser homenageado com outros homens em sua batalha durante o show do intervalo de um jogo de futebol em 2004, Kathryn tenta o convencer de não retornar para a batalha quando o evento termina.

A relação dos irmãos é complicada, em parte, porque Billy juntou-se ao exército para evitar acusações criminosas após uma discussão com o namorado de sua irmã que terminou com Kathryn enquanto ela estava no hospital se recuperando de lesões graves que adquiriu após um acidente de carro.

Kathryn não entende o motivo pelo qual Billy não deixa de servir assim que ele tem a oportunidade, no entanto, ele é ambivalente porque ele sente orgulho em si mesmo e comprometimento com seus homens.

Questionada em uma conferência de imprensa recentemente em Nova York sobre as visões anti guerra de sua personagem e se Stewart vê Kathryn como a consciência do filme, a atriz ofereceu uma resposta pensativa e apaixonada.

“Eu era muito mais nova quando tudo isso aconteceu e eu acho que eu tenho uma relação generalizada e afastada assim como a maioria das pessoas da minha idade, a não ser que você possua um membro da família que serviu ou a não ser que você se torne fanaticamente – não fanaticamente, mas a não ser que você se torne envolvido fervorosamente na política, o que, para ser honesta, minha geração não se interessa muito por isso e o que eu achei mais interessante é que você tem alguém que é essencialmente pacífica, mas não publicamente… Primeiramente, no filme, ela nunca descreve seu liberalismo em mais palavras além de algo que não seja completamente humanitário,” ela explica. “Isso não soa como alguém provocando outra pessoa ou realmente exigindo que elas pensem por si mesma e reconhecendo o espaço enorme entre ela e alguém que ela conhece intimamente a vida toda e agora não pode mais se aproximar como antes porque são dois seres humanos diferentes.”

Stewart continuou dizendo que Kathryn está tentando mostrar para Billy como suas experiências o distanciou das pessoas que ele ama e ela quer que ele pense se o que está fazendo vale a pena.

“Eu acho que o que ela está fazendo, o que é muito tópico, veio em um bom tempo – um tempo perfeito e apropriado – para ficar, “Bom, você já considerou que essas coisas inexplicáveis estão nos afetando e que você é meu irmão, e você está tão imerso em algo que você não teve a oportunidade de entender e será que isso é justo e você pode ficar orgulhoso disso?” A atriz notou.

“Eu não acho que ela seja completamente de esquerda – tipo, ‘Oh, anti guerra!’ – é só, ‘Bom, vamos entender pelo o que estamos lutando,'” Stewart continuou. “E eu acho que ela se preocupa – isso é uma coisa pessoal – mas ela se preocupa com ele. O que vai acontecer quando o seu treinamento sumir e quando todas esses mecanismos de defesa sumirem e você se tornar um ser humano que não consegue sustentar o que aconteceu? E então, mais do que isso, como nós iremos sustentar o pensamento de que colocamos essas pessoas lá? É muito difícil. Não é algo que alguém já tenha feito, realmente. Sim, ela é a personificação da questão ao invés de uma opinião, o que eu acho muito legal.”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil