13, ago
postado por KSBR Team

Como já foi postado aqui no site, Kristen é a nova capa da revista Capricho que saiu hoje nas bancas de todo o país. Nossa equipe comprou a revista e disponibiliza para vocês a entrevista com a Kristen, que está incrível!

Para ler toda a entrevista, clique em ‘Leia Mais’.

A coitada da Bella sofre em Lua Nova, né?
Nossa, acho que nenhuma garota imagina passar pelo que ela passou. Ela anda é muito nova, mas tem que encarar cada situação complicada. Vamos combinar que levar um fora do Edward não foi nada fácil pra ela.

Ela fica pior…
É, e mesmo sabendo que Edward é um vampiro, que ele não é bom pra ela, Bella não consegue se esquecer dele. Mesmo com todo o amor de Jacob. Enfim, resumindo, o filme começa muito bom pra Bella, fica péssimo, depois melhora de novo.

Filmar Lua Nova foi mais difícil do que filmar Crepúsculo?
Até que não. Primeiro, porque eu já sabia a história e, segundo, porque eu já conhecia todo o elenco.



Foi bom reencontrar todo mundo?
É meio surreal, mas fiquei ansiosa até que chegasse o momento de voltar ao set. Geralmente, quando termino um filme, me desligo do personagem. Dessa vez nem tive tempo de fazer isso.

Ainda dá medo de fazer tudo errado?
Sim, claro. Quando as pessoas leem os livros da Stephenie, elas veem de uma maneira muito pessoal. Tem gente que fica muito feliz com o que faço e tem gente que não gosta do meu trabalho. Estou fazendo o melhor que posso.

Mas acho que as pessoas estão gostando. Vocês fizeram o maior sucesso no Comic Con…
Esses eventos são engraçados. Sei que é parte do meu trabalho, participar deles e tal, mas eu nunca sei o que esperar. Dessa vez, em San Diego, falaram pra gente que seria a maior loucura. Eu até pensei: “Será que vão matar alguém do elenco este ano?” (risos) No fim, ninguém apareceu dizendo que me odiava. Foi legal.

É verdade que você é a maior certinha do elenco, trabalha pra caramba?
Quando se fala da minha vida profissional, eu sou realmente assim. Pra mim, não faz sentido me dedicar pela metade a um trabalho. Não quero apenas tentar. Vou trabalhar duro o tempo inteiro porque depois as filmagens acabam e a oportunidade de fazer algo bom passou. Eu não sou perfeccionista, apenas faço meu trabalho.

Você já pensou em ter outra profissão?
Sempre tive dificuldade em escolher o que faria da minha vida na escola, mas, hoje, sei que gosto de atuar e é isso que quero fazer! Às vezes, me perguntam o que eu gosto de fazer quando não estou atuando, como se atuar fosse um trabalho. Talvez um dia eu escreva um livro, mas não volto pra escola!

Sério, por que você não usou uma peruca pra gravar The Runaways?
(Muitos risos) Senti uma grande responsabilidade com Joan, ficamos grandes amigas. E mesmo que não a tivesse conhecido, seria muito estranho filmar com todo aquele cabelo escondido. Seria como se tivesse um capacete. Precisava sentir a minha pele como era ser ela. Não queria correr o risco de parecer uma caricatura. Cortar o cabelo ajudou nisso. Senti a personagem. É assim que funciona.

Assim como você, as garotas do The Runaways fizeram sucesso muito novas. Você tem medo de sumir como elas?
Isso sempre vai acontecer. É como funciona o mundo da fama. Tento ser diferente para não cair na mesma armadilha. Mas é duro ter que aturar algumas meninas criticando o meu trabalho por bobagens.

Que tipo de bobagens?
Por exemplo, tem gente me odiando por ter cortado o cabelo, por não parecer mais “comigo”. Na verdade, eu sei que é porque eu não pareço mais com a Bella. Sinceramente, não entendo essas garotas que julgam as outras pelo tamanho do cabelo ou pelo nível de feminilidade. Temos que ser mais do que aparência!

Mas como você sabe dessas críticas?
As pessoas dizem isso na minha cara! “Por que você cortou o cabelo? Por que fez isso? Por que não chorou assim ou assado?” É um horror! Aí perguntam: “Como você pode gostar de ter um cabelo assim?” e eu respondo que gosto. Elas ficam indignadas.

E como você vai fazer pra filmar Eclipse agora?
Ah, é só um cabelo! Vou usar uma peruca para virar a Bella e fica tudo certo.

Algum filme já mudou a sua vida?
Não consigo me lembrar de nenhum específico, mas fiz um filme chamado Speak (O Silêncio de Melinda) que me fez querer realmente ser atriz. Eu só tinha 13 anos e atuar era apenas um hobby pra mim, algo que eu fazia depois da aula.

Por que foi tão importante?
Mudei a minha personalidade e aprendi demais. Pela primeira vez, via uma personagem como alguém real e percebi que era capaz de fazer os outros se importarem com ela. Foi marcante.

Você terminou de filmar The Runaways ontem e vai começar Eclipse. Não cansa?
Acho bom filmar Crepúscul, sem parar porque na verdade é um trabalho que não acabou. O mais divertido é que a gente não filma na seqüência. Para mim é bom porque se gravasse tudo direitinho, na ordem que acontece, viveria ligando para o diretor, dando sugestões, pedindo pra refilmar. (risos)

Preparada pra filmar Eclipse?
Olha, por enquanto, eu só vou aparecer lá. Vou levar um livro embaixo do braço, encontrar a galera e pronto. (risos) Sei que a história da terceira parte começa num momento bizarro. Se, em Lua Nova, os personagens aprendem a viver naquele triângulo amoroso, em Eclipse, parece que cada um está cuidando de sua vida, os personagens principais mal se falam. E os vampiros estão totalmente decididos a proteger Bella.

A Kristen ficaria do lado dos lobisomens ou dos vampiros?
Eu não abro a minha boca pra falar disso. (risos)

Você tem medo do seu futuro?
Nem um pouco. Por isso que não voltei para a escola. Não sei o que quero fazer daqui a cinco anos. Eu planejo três meses no futuro e está de bom tamanho!

Ser tão direta te causa problemas?
Muitos. A sinceridade parece ser um problema hoje em dia. Mas prefiro ser odiada a ser falsa e enganar as pessoas.