Arquivo de 'Charlie’s Angels'



O Kristen Stewart Brasil esteve presente na premiere de As Panteras no Brasil e nesse post contamos tudo (não tudo) o que você precisa saber para correr para o cinema na quinta-feira e assistir ao filme. Confira:

ATENÇÃO: Tentamos ao máximo não contar spoilers, mas leia com cuidado!

Ontem eu tive o prazer de assistir a pré estreia de As Panteras e o filme cumpre com tudo o que promete. É divertido, tem muita ação e você fica entretido do começo ao fim. É um filme com muita representatividade que te deixa muito feliz por ver tantas mulheres diversas na tela de um blockbuster.

O filme começa no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, com Sabina (Kristen Stewart) em uma missão: Entregar para o governo americano um homem que desvia dinheiro de causas nobres. Sabina finge estar em um encontro com Jonny (Chris Pang) até que ele esteja literalmente envolvido demais com ela (ou com as cortinas do quarto do hotel). Jane (Ella Balinska) é a parceira de Sabina na missão, e vemos as duas em um estágio muito inicial da parceria. Essa missão é uma das últimas de Bosley (Patrick Stewart) que está se aposentando da Agência Townsend após muitos anos trabalhando com as Panteras (ele foi o primeiro Bosley e vemos em uma cena montagens muito divertidas dele com as Panteras da série de 1960 e no filme dos anos 2000).

Um ano depois, encontramos Elena (Naomi Scott) em uma reunião com Peter Fleming (Nat Faxon), o típico chefe que se acha inteligente demais para saber os detalhes do que está desenvolvendo. O dispositivo em questão é o Calisto, que promete ser uma energia sustentável, mas que ainda precisa de alguns ajustes para não virar uma arma perigosa capaz de matar quem ficar por perto. Fleming, obviamente, não dá ouvidos para Elena e acha que o dispositivo está pronto para ser apresentado ao Sr. Brok (Sam Claflin), que está muito alheio ao perigo do dispositivo.

Elena então pede ajuda para as Panteras, mesmo sem saber muito bem o que são ela e o que elas podem fazer. Novamente, vemos Sabina e Jane trabalhando juntas a contragosto, já que elas não se deram muito bem na primeira missão no Rio. As coisas complicam e as Panteras precisam proteger Elena de um assassino altamente treinado que foi contratado para eliminá-la, já que ela é a única que sabe sobre o potencial do Calisto.

O filme, como apontamos antes, é muito divertido. Uma das minhas preocupações sobre um reboot de uma franquia tão conhecida era que ficasse com piadas forçadas e frases de efeito para ser uma coisa “atual” e fiquei muito surpresa com o resultado. Tudo o que acontece no filme é muito sutil, o que acontece com Elena na reunião, por exemplo, é o cotidiano de várias mulheres em seus ambientes de trabalho diariamente. O humor não é feito com frases de efeito, os atores são verdadeiramente engraçados com destaque para Kristen, Naomi e Sam.

Obviamente vemos muitas perucas, disfarces e troca de looks ao longo do filme, que é o que torna um filme das Panteras tão divertido. Em uma das minhas cenas favoritas (e uma das mais divertidas do filme) as três estão disfarçadas com as mesmas perucas e roupas na empresa em que Elena trabalha fazendo dancinhas para distrair a segurança e também batendo muito em quem tenta atrapalhar a missão.

Por falar em bater, a ação do filme é incrível. Vemos muitas cenas perfeitamente coreografadas e as meninas arrasam em todas elas, com destaque para Ella Balinska que mostra todo o seu talento com as lutas. Além de ter um plot twist como todo filme da franquia e muitas referências para a série e os filmes antigos, junto com várias participações especiais durante a cena dos créditos.

O filme deixa uma lição maravilhosa sobre amizade e a importância do trabalho em grupo. Elizabeth Banks realmente fez algo especial com a franquia, adicionando mais emoção nos filmes tão divertidos que todos crescemos amando e nos espelhando em suas personagens. Se você quer um filme para se divertir, rir, se emocionar e ficar boquiaberta com tanta mulher maravilhosa, assista As Panteras a partir do dia 14 de novembro nos cinemas de todo o Brasil.

As notas de produção de As Panteras foram liberadas e podemos ler Kristen Stewart falando sobre sua personagem Sabina, o filme e outros personagens, incluindo Jane de Ella Balinska e sobre sua primeira impressão de Noah Centineo. Confira:

Sobre As Panteras: “Liz pegou esse esse mundo que já temos familiaridade e apenas expandiu. Ela avançou e pensou: “Onde isso estaria por volta de 2018, 2019?” Existem mais de nós. Fazemos mais barulhos. Somos mais fortes em números. E isso realmente acompanha com o distinto senso que estamos desenvolvendo nessa geração em particular. Não é sempre sobre as pessoas que são mais agressivas ou fisicamente fortes. É verdadeiramente sobre como você trabalhamos juntos como indivíduos e como nos tornamos uma unidade formidável como um grupo. Não glorificamos nossos personagens como se fossem heróis, como se você não pudesse ser um deles. O ponto é que se você sabe como abordar algo com compaixão e inteligência, não é sobre fazer um monte de flexões e apontar uma arma para um vilão. É sobre ser mais esperto que alguém e fazer por uma boa razão, isso prevalecerá de verdade.”

Sobre Sabina: Quando conhecemos nossas Panteras pela primeira vez, elas estão naturalmente no meio de uma missão em um terraço glamuroso no Rio de Janeiro. Sabina, em modo Pantera total disfarçada, está se certificando de que seu alvo continua enrolado em sua emboscada – e nas cortinas em um momento muito Cirque du Soleil.

Como a despreocupada e de espírito livre da equipe, Sabina é totalmente imprevisível. ”Eu acho que se a Sabina fosse um cão, ela seria um vira-lata no abrigo que com certeza iria tomar um tiro por você, e eu queria trazer essa leveza para a personagem. No começo do filme, Sabina parece a mais social e extrovertida, como se ela tivesse todos os amigos do mundo,” diz Stewart. ”Mas, na verdade, ela quer apenas encontrar sua equipe. Ela faria tudo para ter amigos, e ela só quer sua família.”

Kristen foi ideia de Banks desde o começo, diz Handelman. ”Liz, Elizabeth Cantillon e eu sempre amamos a ideia de Kristen Stewart como uma Pantera. É tão inesperado para ela, e isso que estampou a ideia de que esse era um filme totalmente diferente dos anteriores.”
“Sempre quisemos Kristen Stewart,” diz Cantillon. ”Se você a assistir em entrevistas ou no Saturday Night Live, você sabe que existe algo subversivo sobre seu senso de humor. Ela é um pouco sorrateira. E acima de tudo, Kristen é a atriz de sua geração – ela já conquistou tanta coisa e não tem nem 30 anos.”

Stewart aceitou imediatamente o projeto – e sua personagem, uma partida real para a atriz que é mais conhecida por seus papéis dramáticos. ”As pessoas mais legais que você conhece na vida geralmente veem aspectos de si mesma que você não vê, e Liz estava muito convencida de que eu era como a Sabina,” ela diz.

”Kristen será a maior surpresa para o público porque não acho que as pessoas estejam esperando o quanto ela é engraçada e como ela é incrível como uma heroína de ação,” diz Banks. ”Ela arrasa e faz isso com um grande sorriso em seu rosto. Ela é o rock and roll do filme, e também o coração e alma, e ela acaba sendo a líder da equipe como a irmã que quer todos juntos o tempo todo, e está aproveitando a vida ao máximo.”

Sobre Ella Balinska: “Ella é uma das pessoas mais pragmáticas que já conheci. Ela é incrivelmente tipo A e para chegar do ponto A ao ponto B é uma linha direta. Pegar um atalho seria ridículo, e eu estou literalmente dançando por todo o lugar para chegar no ponto B e isso é o que eu amo. O que ela traz além de sua energia, que é adorável, é que ela faria qualquer coisa por esse filme. Ela trabalhou mais nas cenas de ação do que qualquer um. Ela é vergonhosamente sincera. Ela é tão transparente, doce e presente, e uma ótima amiga.”

“Nenhum dos elementos do nosso grupo funciona bem juntos no começo, porque somos individuais e desenvolvemos independência do jeito que as mulheres precisam, mas quase por culpa. Você pensa que pode fazer sozinha e está bem. Enquanto o filme caminha, minha energia é tipo, ‘Eu acho que podemos fazer tantas coisas loucas se nunca nos separarmos e nos tornarmos uma unidade sólida.”

Sobre Noah Centineo: ”As pessoas estavam muito animadas com o Noah, suspirando e tudo mais. E eu fiquei tipo, ‘Ele é legal, mas quem é esse garoto?’ Tiveram que me dizer. E ah, cara, ele é charmoso de verdade. Não é brincadeira.”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

A revista PEOPLE recentemente entrevistou o elenco de As Panteras durante sua passagem por Nova York para a divulgação do filme e o vídeo já está disponível na página do Facebook da revista. Confira abaixo o que foi dito sobre Kristen e sua personagem, Sabina:

Kristen Stewart pode se considerar uma ”pessoa muito séria” – mas interpretar Sabina Wilson em As Panteras trouxe à tona seu lado engraçado.

Quando questionada se ela é parecida com a personagem engraçada – e às vezes convencida – que ela interpreta no filme, Stewart, 29 anos, disse que ”a experiência foi uma boa oportunidade para viver e respirar no momento” com suas colegas de elenco, Naomi Scott e Ella Balinska

”Sabina quer encontrar sua galera,” Stewart disse sobre sua personagem em uma entrevista para a PEOPLE. Stewart estava com Scott, Balinska e a diretora e roteirista Elizabeth Banks, que também interpreta Bosley no filme.

”Eu acho que é uma grande missão do filme, mas eu posso exemplificar de um jeito literal,” a estrela de Crepúsculo continuou. ”Ela é de uma família que, de certos modos, faz você se sentir elitista e importante, e por isso ela tem essa arrogância e essa coisa tipo, ‘Meu Deus, como você está tão confortável?’”

Mas também existe um lado mais suave em Sabina: ”E ainda assim, muito por baixo, ela fica tipo, ‘você pode, por favor, me amar?’” Stewart adicionou.

A estrela de Adventureland disse que, na vida real, ela gosta de fazer Scott, de 26 anos, e Balinska, 23, ”rir quando as coisas ficam sérias demais” – Scott até interrompeu para dizer que, ”ela é engraçada na vida real!”

”Mas, ao mesmo tempo, eu também sou uma pessoa muito séria,” ela adicionou. ”Então eu acho que me relaciono com os dois lados.”

”Eu realmente gosto da minha personagem,” Stewart continuou. ”É muito raro quando você não interpreta alguém que é muito definido, e fora de si mesmo, e seu trabalho realmente é trazer algo natural e verdadeiro e algo que reflita talvez um pouco do que você é.”

Stewart adicionou que enquanto interpretou Sabina, ela soube que ”se eu estava me divertindo, e sentindo o amor, então isso estaria no filme.”

Em adição a alongar seus músculos comediantes com As Panteras, Stewart também disse que ela apreciou a irmandade no set e no filme.

Quando Balinska apontou que a Bosley de Banks era uma versão ”carinhosa” do personagem, e oferece abraços durante o filme, Stewart disse que teria amado uma irmã quando ela criança.

”Uma irmã mais velha é tudo,” Stewart disse. ”Eu só tenho irmãos. Se eu tivesse uma irmã mais velha para ficar tipo, ‘Hey, abraços funcionam,’ eu teria amado.”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

Kristen visitou o Live with Kelly and Ryan na quarta feira (06) para falar sobre As Panteras, como foi apresentar o Saturday Night Live pela segunda vez, seus próximos projetos e até falou um pouquinho sobre seus cães! Confira:

Durante a sessão de fotos para a Entertainment Weekly, Kristen Stewart, Naomi Scott, Ella Balinska e a diretora Elizabeth Banks conversaram sobre a trilha sonora do filme, que foi produzira pela estrela pop Ariana Grande. Saiba mais:

O Entertainment Weekly não gosta de colocar uma mulher contra a outra, mas temos que mencionar uma coisa: Ninguém do elenco de As Panteras consegue concordar sobre quem teve a ideia de ligar para Ariana Grande primeiro.

Kristen Stewart jura que ela sugeriu a estrela pop para a música tema do filme. Naomi Scott lembra que ela foi a primeira. E, como a boa diretora – e boa dominadora – que ela é, Elizabeth Banks insiste que Stewart, Scott, e seu marido, Max Handelman (que produziu o filme), todos sugeriram Grande ao mesmo tempo.

Independentemente de quem estiver certo (vamos deixar vocês, o público, decidir por si mesmos), o que a EW pode confirmar é que Grande absolutamente gravou várias músicas para a trilha sonora de As Panteras, incluindo Don’t Call Me Angel, que estreou com o trailer e também conta com Miley Cyrus e Lana Del Rey. Banks, que escreveu, dirigiu, e estrelou na instalação atual da franquia, tinha pensado em Grande como a colaboração ideal desde o começo (vamos voltar nisso depois) e usou Kendrick Lamar como uma inspiração para o estilo das músicas do filme.

”Eu estava obcecada com a trilha sonora de Pantera Negra,” ela explica para a EW no set da nossa sessão de fotos. ”E eu amei a ideia de um único artista, que falasse com nossos fãs, para organizar a trilha sonora. Eu pensei que Pantera Negra foi um grande modelo do que poderíamos fazer.”

A equipe na Sony estava conversando com vários artistas, mas Grande aceitou, citando seu amor pelos filmes anteriores de As Panteras. Banks acredita (”Você teria que perguntar para ela!” ela adverte) que a cantora viu uma oportunidade de experimentar mais com a sua arte, já que não seriam só suas músicas. Para a trilha sonora, Banks pediu uma mistura de influências dos anos 70 (uma década que é refletida demasiadamente no número de dança do filme) e também desenhou uma lista de mulheres ideais para Grande colaborar.

”Eu disse que adoraria que tivesse uma colaboração com a geração antiga de mulheres,” explica Banks. ”É tematicamente correto para mim ficar nos ombros das mulheres que vieram antes de nós. A colaboração com The Chaka Khan deve ser minha música favorita de todas.”

A trilha sonora, é claro, precisava de uma música principal, e em Don’t Call Me Angel, Cyrus rapidamente aceitou se juntar com Grande (”Elas são amigas,” nota Banks). Savan Kotecha, que co-escreveu e produziu a música ao lado do grande nome do pop, Max Martin, tinha a Miley na mente quando escreveu o verso da cantora.

”E então Lana [Del Rey] disse sim e tudo se juntou,” Banks disse. ”Eu não pensei que iríamos superar Independent Women – ou Destiny’s Child – mas eu sinto que fizemos a versão atual da música.”

As atrizes – versões atuais do trio de Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu – visitaram o set do clipe de Don’t Call Me Angel para serem fãs com propriedade. Mesmo que Scott mantenha que Stewart queria o trabalho de The Cure na trilha sonora em vez de Ariana Grande, e Stewart mantém que, de fato, ela sugeriu Ariana Grande.

”Eu não pensei que conseguiríamos que The Cure fizesse nossa trilha sonora,” Stewart insiste. ”Eu só pensei que seria legal se cada personagem tivesse uma vibe diferente – e que seria legal ter algum Rock & Roll no filme. Algumas crianças punk e emo de Valley literalmente ficariam tipo SIM! Mas eu fui literalmente a primeira pessoa a dizer que a Ariana deveria fazer a música. Ela deve ser a única artista pop que eu conheço.”

Depois de rebater com um contra argumento brincalhão – ”Fui eu, não ouse!” – Scott adiciona que ela ficou impressionada com a ética de trabalho de Grande enquanto esteve no set do vídeo, notando que entre as tomadas, a cantora estava organizando as colaborações e tendo brainstorms. Ella Balinska, o terceiro membro do trio de Panteras, descreve a dinâmica entre Grande, Del Rey e Cyrus como ”duas estrelas e músicas incríveis.”

”Foi muito legal,” adiciona Banks, definitivamente.

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

12345