Archive for



Kristen participou de um Q&A na noite de ontem no MOMA, em Nova York, para falar sobre seu curta Come Swim. Confira as fotos e vídeos abaixo:

EVENTOS > EVENTOS E PREMIAÇÕES > EVENTOS E PREMIAÇÕES EM 2017 > (30/08) EXIBIÇÃO DE COME SWIM NO MOMA

Kristen participou de uma sessão de perguntas e respostas sobre seu curta, Come Swim, ontem em Los Angeles. Entre as perguntas respondidas estavam algumas sobre seus próximos projetos. Kristen respondeu que quer expandir o curta para um longa metragem, mas está focada em outras coisas no momento. Uma dessas coisas é seu próximo trabalho como diretora, que ela revelou ser “outra coisa pequena” e que também está trabalhando em um documentário. Ela também revelou que, como diretora, quer fazer a adaptação de um livro, porém terá que bajular o escritor primeiro. Confira fotos e vídeos abaixo:

OUTROS > FOTOS DE FÃS > (25/08/2017) Q&A DE COME SWIM EM LOS ANGELES

Durante o dia de entrevistas para a imprensa para a divulgação do perfume Gabrielle, da Chanel, Kristen conversou com a ELLE Singapura. Confira os scans na nossa galeria e a entrevista abaixo:

Eu estava animada em saber que consegui uma entrevista solo com Kristen Stewart. Desde que alcançou a fama em 2008 com Crepúsculo, ela ganhou crédito por sua amizade com a Chanel, e até interpretou a Mademoiselle em um curta biográfico em 2015 dirigido por Karl Lagerfeld.

A alegria logo se transformou em incerteza. Nós ouvimos falar que ela é incrivelmente tímida – não é uma característica que esperamos em uma entrevista.

Nós ficaríamos em um silêncio desconfortável e isso significa que eu não conseguiria nada para essa matéria – não importa que ela esteja promovendo Gabrielle, a mais nova e maior fragrância da Chanel em 15 anos?

Quando a porta da suíte no Hotel Raphael abriu, eu a vi: Stewart sentada de pernas cruzadas em uma espreguiçadeira vitoriana.

A atriz de 27 anos, vestida em um top bege, Levi’s rasgados e Vans preto, ofereceu sua mão. Apesar de sua leve estatura de 1,65m, ela tem uma presença dominante. Seu quase inaudível “Oi” saiu baixo e rouco.

Eu detectei um pequeno sorriso em seu rosto perfeito enquanto ela se inclina para trás no seu assento, onde sua jaqueta preta de tweed da Chanel está jogada. Ela claramente não liga para sua roupa e nem para o fato de que custa mais de cinco salários.

“Eu posso ligar o gravador?” Eu perguntei. Seu olhar é intenso através de seus olhos verdes que foram melhorados com uma sombra marrom metálica e cílios de Bambi.

Ela murmura, “Você deveria lembrar de cada coisa que eu digo,” e segura seu olhar sério por mais um segundo antes de começar a rir. Dedos entrelaçados e palmas segurando seus joelhos, Stewart está relaxada e pronta para conversar.

Fragrâncias expressam otimismo. Você é otimista?
Eu acho que sou, mesmo que pareça bobo. Eu tenho muita fé nas pessoas porque eu sei o quão complicada a vida é, por isso nunca sou dura com ninguém. Eu não julgo. Nós precisamos errar e se arriscar para poder fazer as coisas valerem a pena. E o mais importante, não deveríamos ser duros com nós mesmos.

O que te faz feliz?
Felicidade é contagiante. Esse é o motivo pelo qual compartilhamos ideias, em primeiro lugar. Você fica tipo, “Hey, você se sente desse jeito?” “Sim, okay!” e isso é afirmativo. Essa reação te afeta e você se sente menos sozinha. Se você vê alguém feliz, isso toca você. Eu acho que é por essa razão que filmes são tão emocionantes.

Você está na frente das campanhas Gabrielle, tanto em beleza quanto em moda. Você se considera o equivalente moderno de Gabrielle Chanel?
Todas as qualidades que ela tinha, eu adoraria ter. Mas é difícil afirmar que você é puramente autêntica, corajosa e incrível como Chanel. Eu sou a influenciada. Eu me atraio por pessoas com ideas firmes que inspiram, eu as traduzo. Chanel era a criadora enquanto eu sou uma tradutora; eu quero ajudar as pessoas a colocar as ideias para fora. Eu quero interpretá-las, senti-las e colocá-las para fora.

Como a Chanel, você ter um ar de mistério. Você gosta desse poder?
O jeito que a Chanel falava sobre seu estilo é muito interessante para mim. Por mais que ela estivesse orgulhosa e tinha coragem, ela se reduzia falando que moda não era arte. Talvez porque ela teve tantos amigos artistas e então ela não queria se colocar no mesmo nível, mas ela fazia o que ela fazia de um jeito tão perseverante. Não era fácil naquela ela fazer as coisas de um jeito diferente. Mesmo quando as pessoas não concordavam com o que ela estava fazendo, ela continuou, o que criou esse mistério. Mas ela sempre foi tão honesta, quero dizer, ela nunca estava fora de si. Como Chanel, eu sou descrita como misteriosa, mas tudo o que eu quero é ser vista. Eu sou uma atriz. Se alguém está olhando para mim de forma honesta, eu vou mostrar tudo para ele ou ela. Não porque eu quero ser popular, mas porque eu quero expressar ideias honestas e me sentir menos sozinha. Eu só sou contra quando a atenção é de um modo sujo.

Então você não gosta de ficar sozinha?
Não, eu amo pessoas. Nós todos devíamos ficar juntos agora. Somos mais forte em número. Isso não quer dizer que eu não gosto de ficar sozinha algumas vezes. Isso te dá chance para pensar. Eu quero que todo mundo seja feliz. Eu odeio a ideia de que as pessoas pensam que sou solitária porque eu não gosto de ser fotografada por aqueles que querem vender fotos minhas.

Você se sente incompreendida?
Por algumas pessoas. Eu não tenho que destacar o que estou fazer; muitas pessoas veem o que eu quero dizer. Tem tanta positividade por aí que isso não importa mais. Eu acho que as pessoas devem ser legais com as outras. Eu não tenho medo de ir contra a maré, não para ganhar atenção mas para fazer o que eu me sinto atraída. Nem todo mundo vai concordar com você mas você vai encontrar pessoas que concordam e elas vão entender.

Chanel era conhecida como rebelde. Como você se identifica com ela?
Para mim, a palavra “rebelde” sugere que você esteja lutando contra algo. Eu acho que uma palavra mais apropriada para descrevê-la seria “determinada”, porque ninguém mexia com ela. Eu nunca senti que ela era agressiva por causa da raiva. Se eu fosse realmente uma “rebelde”, eu não estaria dizendo que eu sou. Caso contrário, seria forçado. Ao mesmo tempo, não estou lutando contra ninguém; só estou fazendo o que estou fazendo.

Chanel uma vez disse que “luxo é o que você não vê.” O que luxo significa para você?
Eu não sei. Eu acho que eu não sou a pessoa mais luxuosa. Eu sou dura comigo mesma, tipo fisicamente, estou sempre me machucando (levanta as mão para revelar cortes e arranhões). Eu me empolgo demais. Não é necessariamente sobre a sua aparência, e sim como você se sente. Eu acho que luxo é um sentimento e saber que você está se tratando bem. Se você se trata bem, isso significa que você tem respeito por si mesma. Se você se trata bem, outras pessoas também irão.

Você parece gostar de se vestir do jeito básico.
Eu uso Levi’s e Vans todo dia. Eu vi essa foto minha quando estava na Disneylândia com o meu irmão e nós dois estamos os mesmos. Eu estava usando Levi’s, Vans e uma blusa com um bolso e um boné, e eu pensei, “Wow, eu não mudei meu estilo desde que eu tinha cinco anos de idade.” É engraçado porque você pode olhar para alguém usando Levi’s e Vans e pensar, “Wow, ela é tão legal,” ou pensar, “Hmm, básica”. Não é sobre o que você veste e sim como você se move com isso.

Você tem marcas de designers no seu guarda roupa?
Eu uso Jillian Dempsey (gesticulando para o colar de corrente que está usando), minha maquiadora que possui uma linha de jóias. Eu amo chapéus, mas eu sou pequena então não sei se consigo usar. Chanel me deu duas bolsas Gabrielle, uma preta e uma branca. Eu prefiro a preta, mas eu não uso bolsas. Se eu vou para um evento ou estou arrumada, eu uso bolsa para colocar meu celular. Eu não sei mais o que colocar dentro. Senão, eu uso meus bolsos porque eu não levo muita coisa comigo.

Quando a entrevista chegou ao fim, o que mais me impressionou foi a honestidade de Stewart. Ela me olhava diretamente nos olhos quando falava e considerava cuidadosamente cada pergunta, esfregando suas palmas em sua blusa antes de responder. Eu agora entendo o motivo de ser tão cuidadosa com quem ela fala – porque ela é uma péssima mentirosa. Como Gabrielle Chanel, Stewart vive o que ela fala. E ela não vai se explicar porque do jeito que ela vê, ou você entende ou não entende.

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

Com a divulgação do novo perfume da Chanel, Gabrielle, Kristen está participando de muitas entrevistas ao redor do mundo. A dessa vez foi realizada para a Vogue Espanha e os scans estão disponíveis na nossa galeria. Confira a entrevista abaixo:

A atriz Kristen Stewart se converte para o alter ego da jovem Gabrielle Chanel, um espírito livre que foi de um orfanato para o ponto mais alto da moda e agora inspira o mais recente perfume da grife.

Na Chanel não dão ponto sem nó. E como 2017 seria o ano de Gabrielle, não bastava apenas batizar uma bolsa e um perfume com o nome autêntico da fundadora da marca. As duas criações tinham que ter a personalidade rebelde, independente e ambígua daquela jovem que cresceu em um orfanato e chegou a ser quem ela disse que seria. Sua adolescência no hospital de Aubazine, onde aprendeu a costurar, foi triste e solitária. Até sair de lá, com 18 anos, trabalhou como vendedora e dançarina de cabaré. Poucos previam que aquela jovem revolucionaria o mundo da moda com roupas confortáveis e andróginas, removendo os apertados corsets. Mas Gabrielle não pulou apenas os padrões de vestimentas da época, mas desprovida de pudores e ignorando sua reputação como amante de homens ricos e poderosos, soube aproveitar as circunstâncias e oportunidades desse novo ambiente para traçar seu próprio destino. Primeiro como uma chapeleira; logo, com uma linha de roupas e depois com seu próprio negócio de moda que alcançaria a fama, fortuna e reconhecimento. Curiosamente, Chanel não teve que ir muito longe para encontrar esse temperamento forte e extraordinário de Gabrielle. Essa personalidade estava presente em seus desfiles desde 2013, quando Karl Lagerfeld colocou seus olhos em Kristen Stewart (Califórnia, 1990).

O golpe de Kristen em questão de popularidade chegou com o papel de Bella na Saga Crepúsculo; cinco filmes que a levaram ao topo, incluindo o título de atriz mais bem paga de 2012 segundo a Forbes. Com 40 títulos em seu currículo, a atriz contracenou com grande nomes como Jodie Foster, com quem trabalhou em O Quarto do Pânico (2002), Juliette Binoche, companheira de cena em Acima das Nuvens (2014), pelo qual ganhou um César de Melhor Atriz Coadjuvante pelas ordens de Olivier Assayas, diretor com quem também trabalho em Personal Shopper (2016). Também a vimos em Para Sempre Alice (2014) junto a sua admirada Julianne Moore e Woody Allen contaria com ela em Café Society (2016) sem ter visto seus filmes de vampiro, segundo um comentário do diretor. Este ano, a atriz estreou como diretora com o curta Come Swim e em 2018 a veremos em Underwater de William Eubank.

Apesar de Kristen ser uma das poucas famosas atualmente que não gosta de mostrar sua vida nas redes sociais, o mundo insiste em examinar tudo o que diz ou faz. Até Trump se atreveu, em 2012, a comentar através de seu Twitter sobre seu término com o ator Robert Pattinson. Por mais que Kristen tivesse ficado calada, no dia 4 de fevereiro a atriz (em um gesto ousado) utilizou sua presença no Saturday Night Live para responder e resolver o problema com o atual presidente ao mesmo tempo que confirmava para o mundo sua orientação sexual. Além disso, seu visual mudou, como seu cabelo raspado para trabalhar em Underwater e é objeto meticuloso de análise.

Com respostas rápidas e discurso bem amadurecido, agora a atriz conversa com a Vogue.

O que te inspira na personagem Gabrielle?
Naquela época, não era fácil ser mulher e muito menos ter ideias inovadoras. A razão pela qual a Chanel existe é porque Gabrielle nunca parou de questionar e não teve medo de que o resto estivesse em desacordo. Sua vida foi um sobe e desce contínuo, mas no final, o resultado é impressionante. Aspiro a ter essas qualidades. Não é fácil, mas não tenho medo de cometer erros.

Você acredita que as mulheres hoje continuam realizando sua própria revolução?
Percebo um sentimento de comunidade que nunca havia sentido. É certo que tenho apenas 27 anos e não sei de tudo o que aconteceu antes, mas acredito que há um movimento forte de união entre as mulheres. Também tenho a sensação de que nunca foi fácil ser mulher. Por isso admiro as pessoas que fazem o que gostam e aquelas que olham para o futuro. Agora me dou conta de que as mulheres que me fascinam de verdade são como Gabrielle. A razão pela qual estamos aqui é porque ela sentiu algo forte, foi por ela mesma e nunca parou. E não importou os altos e baixo, se a admiravam ou criticavam, ela sempre fez o que quis.

Quem você admira?
Minha mãe, Patti Smith, e sinceramente, Julianne Moore. Ela é muito autêntica e tem uma boa ética de trabalho. Gosto de pessoas assim.

Há algum filme que você considera o mais importante?
Realmente não. Em todos me sinto inspirada por outras pessoas ou ideias. E quando às vezes o produto final não seja tão bom, eu não me importo porque a experiência valeu a pena.

Qual foi o seu papel mais difícil?
Se algo me parece fácil, penso que cometi um erro. Tudo o que eu faço é porque me sinto instintivamente seduzida.

Você tem alguma filosofia de trabalho?
Recentemente me dei conta de que não tenho que ter medo de não fazer um bom trabalho e que esse seja não seja perfeito. Eu penso, “Você tem que fazer que te atrai, porque você não está sozinha nisso. Vai encontrar pessoas que compartilham o mesmo sentimento.” A razão pela qual fazemos arte é para colocar uma ideia em comum. Então você pensa: “Foda-se, alguém está me escutando” e se sente menos sozinha. Poder compartilhar isso torna a vida mais bonita.

Qual foi o seu maior desafio?
Que pergunta mais intensa! Provavelmente, pensar demais. A medida que fui crescendo, comecei a ficar obcecada por controle. O simples fato de não saber algo sempre me incomodou muito. Mas agora amo o desconhecido. Não me importo de me arriscar. Portanto, o maior desafio que tive provavelmente foi deixar para trás essas coisas que me pesavam. Agora, não tenho medo de cair.

Como definiria seu momento atual?
Me sinto muito bem. Tenho atuado desde os 10 anos de idade e não quero parar. Me perguntam muito isso pela ideia de dirigir e eu acredito que não há uma diferença muito grande entre atuar e dirigir. Em ambos os casos se trata de transmitir um sentimento e chegar ao maior número possível de pessoas. Me coloquei a serviço de ideias alheias e agora gostaria de fazer outros se sentirem assim. Então sim, quero dirigir filmes. Esse é meu plano atual.

Você parece confortável com mudanças de visual, incluindo as drásticas. Você as usa como forma de expressão?
Sim, claro. Embora as vezes não estava ciente de quando acontecia, logo, ao olhar para trás, penso que estava usando o cabelo de uma forma ou de outra para dizer algo. A primeira vez que cortei o cabelo e deixei apenas alguns centímetros tive a sensação de que não tinha que me esconder mais. Não que antes eu quisesse me esconder, mas mostrar totalmente o rosto foi uma mudança. O resultado foi honesto e revelador. Com esse corte agora me sinto muito confortável.

Você presta muita atenção na sua imagem? Você gosta de moda?
Não sou obcecada. Na verdade, não me importo muito com roupa, mas quando funciona, é como se liberasse algo em você. Eu também não me importo com a moda em geral, mas sim com quem está por trás e faz coisas bonitas porque sentem que devem fazer. Por exemplo, é muito inspirador ver o pequeno grupo de pessoas que trabalham na Chanel e seu amor pelo o que fazer. Vestir algo que eles criaram e vê-los se emocionarem porque estão te vendo como haviam imaginado me dá satisfação. Quando um bom estilista, ou um diretor, te diz “Vejo algo em você que você não vê, e lhe darei isso” e você sente uma gratidão imensa. É um presente. Quando as coisas funcionam desse jeito, é pura arte.

Qual a importância do perfume pra você?
Uma fragrância cria uma atmosfera. Não se trata apenas de como você se vê fisicamente, e sim de como se sente. Não importa que ninguém esteja com você para sentir o cheiro, porque se trata de uma experiência pessoal. É um prazer. Não é algo necessário, mas é bom.

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

Chanel lançou oficialmente para a imprensa o anúncio de seu novo perfume, Gabrielle, que estrela Kristen Stewart. Confira:

CHANEL > GABRIELLE CHANEL > CAMPANHA

Kristen Stewart dificilmente é uma novata para a Chanel. A atriz, 27, tem sido embaixadora da marca de luxo desde 2013, e estrelou em campanhas como a bolsa unisex Gabrielle no início do ano. Então quando a casa da moda, liderada por Karl Lagerfeld anunciou a sua primeira fragrância em 15 anos, a bela foi uma escolha natural.

Chamada de Gabrielle Chanel em homenagem a fundadora da marca, a falecida Gabrielle “Coco” ChanelKarim Sadli, na quarta feira, 16 de agosto.

“A nova fragrância da Chanel chamada Gabrielle celebra a personalidade extraordinária de sua fundadora e transmite uma mensagem muito moderna convidando todas as jovens mulheres de hoje a viver livremente, com e por si mesmas,” a marca declarou no comunicado de imprensa. “A talentosa atriz Kristen Stewart imediatamente nos veio a mente como a escolha óbvia para encarnar essa feminilidade corajosa, forte e fervorosa.”

No final do ano, a Chanel estará lançando um curta, estrelando ninguém menos do que a atriz de Crepúsculo. O vídeo, filmado por Ringan Ledwidge como parte da campanha, pretendo evocar o espírito de Gabrielle Chanel antes dela encontrar sua voz como Coco.

“O sentimento que eu queria expressar era de liberação,” explicou Ledwidge.

Stewart adicionou sobre a fundadora da marca: “Ela estava tentando fazer coisas que as pessoas não viam necessariamente como bonitas, mas ela disse, ‘Olhe para as coisas de modo diferente.'”

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil

12345