Kristen Stewart dirigiu um novo curta para a coleção de Pablo Larraín, o diretor de seu novo projeto como a Princesa Diana, Spencer, para a Netflix, chamada Homemade. A coleção estará disponível no catálogo mundial do serviço de streaming a partir do dia 30 de junho. Confira detalhes:

O diretor de Jackie, Pablo Larraín, poderá dirigir Kristen Stewart em Spencer, mas o par irá colaborar primeiro em uma nova coleção de curtas para a Netflix.

Filmado durante a pandemia de COVID-19 e em vários estados do isolamento global, Feito em Casa une 17 cineastas em uma coleção de curtas – disponível para assistir individualmente como curtas de cinco a sete minutos ou como um longa metragem – que captura a experiência compartilhada da quarentena. O projeto é comandado por Larraín, seu irmão e parceiro criativo Juan de Dios Larraín pelo banner da produtora dos dois, Fabula, e Lorenzo Mieli, CEO da empresa italiana The Apartment, com Feito em Casa sendo seu projeto inaugural.

A estrela de Personal Shopper e As Panteras, Kristen Stewart, marca sua sequência ao seu curta de 2017, Come Swim, com outro filmado em Los Angeles. Enquanto isso, Maggie Gyllenhaal contribui com um filme feito em Vermont.

Outros diretores incluem Paolo Sorrentino (“A Grande Beleza”) em Roma, Itália; Ladj Ly (“Os Miseráveis”) em Clichy Montfermeil, França; Rachel Morrison (“Pantera Negra”) em Los Angeles, Estados Unidos; Naomi Kawase (“True Mothers”) em Nara, Japão; Nadine Labaki e Khaled Mouzanar (“Cafarnaum”) em Beirut, Líbano; Gurdiner Chadha (“A Música da Minha Vida”) em Londres, Inglaterra; e Ana Lily Amirpour (“Garota Sombria Caminha pela Noite”).

“Pela primeira vez em nossas carreiras, isso não foi sobre dinheiro, agências, advogados ou a estrutura de Hollywood,” disse Juan de Dios para a Variety. “Essa foi uma simples ideia de transmitir uma mensagem em cinco ou sete minutos, e a ideia era mandar essa mensagem sem pressão; foi totalmente aberto. Nós só pedimos para que a classificação de todos os filmes fosse livre, e não somente para o público mais velho.”

Pablo Larraín nota que a mensagem em Feito em Casa é sobre “adversidade e sobre como somos todos de diferentes países, culturas e circunstâncias, mas por um momento único de humanidade, estamos todos compartilhando uma circunstância muito similar em contextos diferentes.”

Baseado em Santiago, no Chile, o diretor nota que a experiência do coronavírus continua a variar ao redor do mundo. O Chile viveu seus “pior momento da pandemia” na segunda-feira, de acordo com Larraín, enquanto na Europa há progresso apesar do medo de uma segunda onda. “Estamos passando por situações diferentes, mas há muitas coisas que temos em comum. Esse foi o coração do projeto e a dificuldade que enfrentamos.”

Os diretores foram instruídos a usar somente equipamentos encontrados em casa, com o foco sendo o trabalho em casa – o filme de Pablo Larraín, por exemplo, foca em uma conversa pelo Zoom – até meditações narrativas sobre um momento inédito na história.

Os detalhes de cada filme permanecem em segredo, mas o filme de Gyllenhaal – que estrela seu parceiro, o ator Peter Sarsgaard – irá “surpreender o mundo inteiro,” promete Pablo Larraín. “Todos os curtas possuem algo especial, mas o da Maggie é muito particular.”

“Cada diretor fez uma coisa completamente diferente,” explica Teresa Moneo, diretora de filmes originais da Netflix. “Nós os colocamos juntos tematicamente. Alguns são histórias claramente pessoais e outras são mais narrações, fantasias ou comédias. Nós tentamos dar a eles algum tipo de organização para que eles fossem arrumados tematicamente.”

A executiva admite que foi uma corrida contra o tempo para garantir que o conceito – concebido coletivamente em março por Mieli e os irmãos Larraín e então apresentado para a Netflix – ainda estivesse oportuno na estreia.

Foi trabalho intenso, diz Moneo. “Intenso no sentido de que estava acontecendo ao vivo, em frente aos nossos olhos, então nós tivemos que juntar forças rapidamente para ter certeza de que teríamos isso em uma época onde fazia sentido sair,” ela adiciona.

“Foi uma aliança entre todos os nossos grupos na Netflix para ter certeza de que tudo estará com legendas, e que todos os possíveis problemas técnicos estejam fora do caminho.”

Pablo Larraín descreve a experiência de Feito em Casa como “um festival de filmes muito estranho, bonito e único” onde vozes diferentes se reuniram para contar uma história em um “exercício mundial”. Mieli destaca mais profundamente que o projeto mostra “uma variedade de coisas ao redor do mundo, feitas em exatamente nas mesmas condições, ao mesmo tempo.”

Feito em Casa estreia na Netflix no dia 30 de junho, e uma doação em homenagem a cada cineasta será feita do Hardship Fund da Netflix a terceiros e grupos sem fins lucrativos fornecendo ajuda emergencial para atores e equipes desempregados.

Fonte

Tivemos acesso às notas de produção da coleção e traduzimos o que a Kristen comentou sobre o projeto:

“A arte nascida da restrição tem um jeito de se tornar uma maneira surpreendente e cósmica, e os curtas por natureza não precisam obedecer a nenhuma regra que realmente abra a ideia do que um filme pode fazer. Fiquei muito grata por essa ideia e muito livre. Foi um grande presente ser encorajada a criar algo com esse vazio estranho. Espero que esta série inspire as pessoas a fazerem o mesmo.”