O Kristen Stewart Brasil esteve presente na premiere de As Panteras no Brasil e nesse post contamos tudo (não tudo) o que você precisa saber para correr para o cinema na quinta-feira e assistir ao filme. Confira:

ATENÇÃO: Tentamos ao máximo não contar spoilers, mas leia com cuidado!

Ontem eu tive o prazer de assistir a pré estreia de As Panteras e o filme cumpre com tudo o que promete. É divertido, tem muita ação e você fica entretido do começo ao fim. É um filme com muita representatividade que te deixa muito feliz por ver tantas mulheres diversas na tela de um blockbuster.

O filme começa no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, com Sabina (Kristen Stewart) em uma missão: Entregar para o governo americano um homem que desvia dinheiro de causas nobres. Sabina finge estar em um encontro com Jonny (Chris Pang) até que ele esteja literalmente envolvido demais com ela (ou com as cortinas do quarto do hotel). Jane (Ella Balinska) é a parceira de Sabina na missão, e vemos as duas em um estágio muito inicial da parceria. Essa missão é uma das últimas de Bosley (Patrick Stewart) que está se aposentando da Agência Townsend após muitos anos trabalhando com as Panteras (ele foi o primeiro Bosley e vemos em uma cena montagens muito divertidas dele com as Panteras da série de 1960 e no filme dos anos 2000).

Um ano depois, encontramos Elena (Naomi Scott) em uma reunião com Peter Fleming (Nat Faxon), o típico chefe que se acha inteligente demais para saber os detalhes do que está desenvolvendo. O dispositivo em questão é o Calisto, que promete ser uma energia sustentável, mas que ainda precisa de alguns ajustes para não virar uma arma perigosa capaz de matar quem ficar por perto. Fleming, obviamente, não dá ouvidos para Elena e acha que o dispositivo está pronto para ser apresentado ao Sr. Brok (Sam Claflin), que está muito alheio ao perigo do dispositivo.

Elena então pede ajuda para as Panteras, mesmo sem saber muito bem o que são ela e o que elas podem fazer. Novamente, vemos Sabina e Jane trabalhando juntas a contragosto, já que elas não se deram muito bem na primeira missão no Rio. As coisas complicam e as Panteras precisam proteger Elena de um assassino altamente treinado que foi contratado para eliminá-la, já que ela é a única que sabe sobre o potencial do Calisto.

O filme, como apontamos antes, é muito divertido. Uma das minhas preocupações sobre um reboot de uma franquia tão conhecida era que ficasse com piadas forçadas e frases de efeito para ser uma coisa “atual” e fiquei muito surpresa com o resultado. Tudo o que acontece no filme é muito sutil, o que acontece com Elena na reunião, por exemplo, é o cotidiano de várias mulheres em seus ambientes de trabalho diariamente. O humor não é feito com frases de efeito, os atores são verdadeiramente engraçados com destaque para Kristen, Naomi e Sam.

Obviamente vemos muitas perucas, disfarces e troca de looks ao longo do filme, que é o que torna um filme das Panteras tão divertido. Em uma das minhas cenas favoritas (e uma das mais divertidas do filme) as três estão disfarçadas com as mesmas perucas e roupas na empresa em que Elena trabalha fazendo dancinhas para distrair a segurança e também batendo muito em quem tenta atrapalhar a missão.

Por falar em bater, a ação do filme é incrível. Vemos muitas cenas perfeitamente coreografadas e as meninas arrasam em todas elas, com destaque para Ella Balinska que mostra todo o seu talento com as lutas. Além de ter um plot twist como todo filme da franquia e muitas referências para a série e os filmes antigos, junto com várias participações especiais durante a cena dos créditos.

O filme deixa uma lição maravilhosa sobre amizade e a importância do trabalho em grupo. Elizabeth Banks realmente fez algo especial com a franquia, adicionando mais emoção nos filmes tão divertidos que todos crescemos amando e nos espelhando em suas personagens. Se você quer um filme para se divertir, rir, se emocionar e ficar boquiaberta com tanta mulher maravilhosa, assista As Panteras a partir do dia 14 de novembro nos cinemas de todo o Brasil.