Durante a press de Seberg, no Festival de Veneza, Kristen falou um pouco sobre seu relacionamento com a política, sobre a atriz Jean Seberg e um possível Instagram público. Confira abaixo:

Assim como sua personagem em “Seberg”, Kristen Stewart não tem medo de expressar suas opiniões políticas, e se sente bem com seu status de celebridade, ela disse durante o Festival de Veneza nesta sexta-feira.

O thriller político, dirigido por Benedict Andrews, é inspirado na vida da atriz americana Jean Seberg, a estrela do filme “Breathless” de Jean-Luc Godard, que em 1960 foi perseguida pelo FBI em suas espionagens ilegais pelo programa Cointelpro, em retaliação em seu apoio ao Black Panther Party e seu envolvimento romântico com o ativista de direitos civis Hakim Jamal.

“Não é difícil pra mim usar minha política.”, Stewart disse, quando questionada se causas políticas ainda precisam de estrelas de cinema nos dias de hoje.

“Isso aparece no trabalho que eu faço… Em conversas públicas que eu tenho… Eu gosto dessa interação. Eu tenho sorte de ter.”

Stewart se assumiu bixessual em 2017 durante seu episódio no Saturday Night Live. Na ocasião, ela respondeu o Presidente Trump, que tinha criticado a atriz em um tweet, dizendo: “Donald, se você não gostava de mim naquela época, você provavelmente não vai gostar de mim agora, pois estou apresentando o SNL e sou tipo, muito gay cara.”

Falando sobre seu status de celebridade, Stewart – que alcançou o estrelato mundial com a Crepúsculo e tem trabalhado em uma variedade de filmes, desde “Personal Shopper” de Olivier Assayas até “Charlie’s Angels” – disse que “meio que me assustou muito, quando eu era mais nova e muito mais insegura.”

Mas agora, “é ótimo que eu tenho essa posição onde eu posso me abrir completamente e me comunicar com as pessoas.”

Stewart diz que não está completamente envolvida nas redes sociais, “mas eu sinto que não estou me escondendo… Há uma diferença.”

É também uma mudança de como costumava ser. Por alguns anos, no começo de sua carreira, ela disse que pensou: “Eu tenho que me proteger. Estou completamente desprotegida.” Agora, entretanto, “é um sentimento bonito, em contraste com o que eu sentia, quando você é exposto a algo. O ataque desse tipo de atenção pode realmente te colocar em um buraco.”

Embora ela não se sinta mais assim, “não é como se eu fosse abrir um Instagram público e começar a gritar com as pessoas sobre o que eu penso,” ela diz. “Mas eu sinto que faço isso de qualquer maneira, de uma forma diferente.”

Descrevendo Seberg, Stewart disse: “Ela tinha uma fome atrás dos olhos que a fazia pular da tela,” e “ela era uma humanitária realmente compassiva no momento em que as pessoas não queriam aguentar isso.”

O diretor Andrews observou que Seberg morreu em Paris há 40 anos na sexta-feira, devido em parte ao trauma de ser assediada pelo FBI. A polícia considerou sua morte um provável suicídio.

Stewart não parece estar preocupada sobre como uma nova onda de celebridades esperava de seus papéis nos próximos sucessos de bilheteria “Underwater” e “Charlie’s Angels” e sua franqueza política poderia impactar sua vida.

“Estou pronta pra tudo isso! Sim!” Ela disse. “Estou muito orgulhosa das pessoas com as quais trabalhei recentemente, e eu realmente quero que outras pessoas vejam isso em um sentido expansivo. Eu não estou intimidada por isso.”

“Eu gostaria de alcançar novos patamares… Mas ao mesmo tempo… Não estou pensando nisso dessa maneira,” disse ela. “É a coisa mais legal… Estou pronta para todas as pessoas no mundo verem isso, desde que pareça natural.”

Via | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil