Kristen Stewart conversou com o IndieWire durante o dia de entrevistas do seu novo filme J.T. LeRoy e falou sobre a falta de vozes queers em Hollywood e também sobre seu próximo filme como diretora, confira:

Como muitas atrizes, Kristen Stewart está pronta para uma mudança em Hollywood. Após sua saída do armário no Saturday Night Live em 2017, Stewart fez alguns dos seus melhores trabalhos, mas somente durante os últimos anos ela interpretou personagens queers. Em Lizzie, Stewart interpretou a impressionante amante da assassina Lizzie Borden de Chloë Sevigny. Ela interpreta outro personagem real em J.T. LeRoy, que aproveita a nostalgia da dramatização de uma farsa literária que fascinou o mundo.

Stewart serviu no júri de competição do Festival de Cannes em 2018 ao lado de Cate Blanchett e Ava DuVernay; naquele ano, as mulheres de Cannes condenaram em voz alta a falta de cineastas mulheres no festival. A atriz nunca teve medo de falar o que pensa, especialmente quando se trata de representação em Hollywood. Quando questionada sobre como Hollywood está lidando com histórias queer durante uma recente entrevista ao IndieWite, Stewart disse, ”É animador,” mas que vê espaço para melhora.

”É estranho, porque muitas pessoas criando o conteúdo são queer ou não são héteros,” disse Stewart, avisando que ela não queria generalizar. ”Ainda assim, eu acho que muitas pessoas que cresceram e não são tão jovens, que estão tentando fazer sua arte e ter isso consumido em um cenário comercial… uma reação prevalente bem comum tem sido quieta. Eu acho que a vergonha deles tem sido engolida de volta. Então, só agora estamos – ‘Oh, espera, tudo bem, fazemos nosso trabalho muito bem, mas podemos contar nossas próprias histórias? Porque fazemos isso o tempo todo.’ E somos muito bons nisso.”

Tropeçando um pouco nas palavras, ela adicionou: ”Novamente, não quero generalizar, mas é como a nossa indústria é, somos todos um monte de pessoas gay!”

Enquanto os filmes de época, incluindo Lizzie, Colette e o vencedor do Oscar The Favourite, apontaram uma luz para as vidas queers, Stewart nota que os dramas de época são um dos pontos cegos de Hollywood.

”Também é louco se você pensar nas histórias que já existem. Até dramas de época,” ela disse. ”Coisas que são baseadas em fatos reais. Essas histórias estão sendo contadas de um modo bem limitado porque as pessoas queers existem desde sempre. Só agora que estamos falando sobre isso. E realmente… começamos a falar sobre essa história há pouco tempo. Eu adoraria voltar no tempo e escolher todos os nossos filmes favoritos e ficar: Onde estão os gays? E o que eles estão fazendo, onde estão se escondendo, e o por que não estão falando deles nessas histórias? É desagradável.”

Stewart terá a chance de corrigir a balança quando ela fizer sua estreia com um longa metragem como diretora, A Cronologia da Água. Baseado na biografia de Lydia Yutkavich, o filme está atualmente em pré produção. Então, como esse filme irá contar as outras histórias queers?

”Chronology of Water é, em termos, um forte nadador e é inteiramente fluido,” Stewart disse.

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil