Kristen conversou com o Santa Cruz Sentinel Movies sobre ‘Café Society‘ e ‘Equals‘ durante a semana de divulgação dos dois filmes. Confira:

É a semana de Kristen Stewart em L.A. – e por que não deveria ser?

A atriz de 26 anos de Woodland Hills se tornou uma das atrizes mais respeitadas nos anos recentes, e não é por causa do (nem apesar de) sucesso enorme que ela fez com a saga ‘Crepúsculo‘. Desde que a franquia terminou em 2012, Stewart fez uma série de indies pouco vistos mas altamente comentados como ‘On the Road‘, ‘Camp X-Ray‘, ‘Clouds of Sils Maria‘ e ‘Still Alice‘.

Ela possui mais dois estreando localmente na sexta feira, o romance distópico de Drake DoremusEquals‘ e o mais recente de Woody Allen, o romance de 1930 altamente sofisticado, ‘Café Society‘. Além disso, ela conseguiu fortes reações em ‘Certain Women‘ e ‘Personal Shopper‘ que foram exibidos em grandes festivais, e ela também irá aparecer em ‘Billy Lynn’s Long Halftime Walk‘, do ganhador duas vezes do Oscar, Ang Lee, no final desse ano.

As estreias desse fim de semana mostram Stewart enfrentando o amor e outros problemas de jeitos que a vampira Bella nunca poderia imaginar.

Equals‘ se passa em um futuro pós-apocalíptico onde os habitantes “civilizados” construíram uma sociedade tranquila e com tecnologia avançada e afirmaram que emoções são uma doença que precisa ser medicamente suprimida. Como em ‘1984‘e ‘THX 1138‘, a rebelião surge quando os colegas de trabalho Nia (Stewart) e Silas (Nicholas Hoult) não conseguem controlar a atração um pelo outro.

Doremus, que é especialidade em dramas emocionas e íntimos sem serem roteirizados, como ‘Like Crazy‘, coloca suas estrelas em um processo único para se conhecerem para seu primeiro drama emocional e íntimo de sci-fi.

“As regras do jogo eram, inicialmente, só dizer oi um para o outro,” Stewart explica. “Ele queria que nós tivéssemos memória física de dizer oi para o outro 365 vezes. Nossos personagens se veem todo dia durante um ano no escritório e nunca conversaram, nem se referiram um ao outro sem ser por meio de um oi. Mas, após um ano disso, você conhece a pessoa. Eu não sei a data de nascimento dele ou de onde ele é, mas eu conheço esse homem. No final, eu senti como se o visse todo dia durante um ano em um escritório, e eu tive essa curiosidade e sentimento por suas reações.”

Esse foi só o primeiro encontro.

“O próximo jogo foi, você pode falar e não importa o que você estiver dizendo, desde que seja completamente honesto,” ela diz. “E então o próximo jogo era, você não precisa, mas se você quiser dizer algo, tem que ser uma mentira. Isso te apresenta como mentir e quando você não sabe quando está mentindo.”

Parece ser uma ferramenta essencial para um ator. Especialmente quando se está interpretando alguém que tem que esconder seus sentimentos de todos. Stewart não está convencida de que funcionou para ela, apesar disso.

“Esconder e sufocar emoções por apresentação é algo que eu tive muito que fazer,” ela admite. “Não é tão incomum. Qualquer pessoa que já teve que ir trabalhar com qualquer bagagem, tristeza ou qualquer coisa, faz isso. Algumas pessoas são do tipo que preferem não compartilhar. Eu sou, tipo, eu compartilho tanto que isso na verdade me tortura um pouco. Eu preciso que as pessoas estejam na mesma página e isso nos conecta. Talvez isso soe egoísta, mas essa parte é fácil para mim porque eu sei como isso é.”

“Eu pensei que eu estava escondendo muito bem,” ela disse sobre trabalhar em Equals. “Eu vi o filme algumas vezes agora e fico tipo, ‘Wow, eu literalmente não estou escondendo nada!’ O que acontece com o meu rosto quando eu não quero mostrar as coisas é que fica muito duro, como um nó. Eu pensei que eu estava sem expressão, mas eu estava tipo, ‘Ungh, estou morrendo!'”

Ela tem sido dura com si mesma desnecessariamente. Especialmente se você considera ‘Café Society‘ um filme que mostra repetidamente a capacidade de Stewart de mostrar um arco íris de emoções conflitantes, muitas delas sendo reprimidas, em seu rosto iluminado por Vittorio Storaro.

Stewart interpreta Vonnie no filme de Allen, uma assistente ambiciosa mas com os pés no chão para o Phil de Steve Carell, um poderoso agente de Hollywood. Quando o sobrinho de Phil, Bobby (Jesse Eisenberg), que estrelou anteriormente ao lado de Stewart em ‘American Ultra‘ e ‘Adventureland‘) chega de Nova York para tentar a indústria do cinema, ela mostra Los Angeles para ele e conquista seu coração. Ele também toca partes dela, mas quando as coisas não funcionam, ele volta para casa para administrar um clube em Manhattan.

Suas vidas continuam, separadamente e mais ou menos satisfatórias, até a noite em que Vonnie entra no clube de Bobby.

“Vonnie é tão diferente de mim, em termos de tom,” diz Stewart, que a vida amorosa, ao menos como tem sido reportada, teve seu drama compartilhado. “Ela fez a história possível por causa do quão atraente sua energia é. Não ter culpa ou vergonha ao redor dos seus motivos ou suas decisões é um jeito muito avançado de contar a história de uma mulher jovem nos anos 30. Se apaixonar por dois homens ao mesmo tempo, um sendo muito mais velho, terminar um casamento… É realmente incomum em termos de convencionalidade.”

“O que eu acho que isso celebra é a apreciação da experiência momentânea, e nem sempre saber como algo vai terminar, mas não jogar fora só porque você não consegue identificar e ficar com isso. Ela permite que ele e ela tenham os dois, mais ou menos, e há essa melancolia que eu sinto muito. Há somente algumas pessoas que eu não fico com vergonha quando estou perto, e Jesse é uma delas, então eu pude ser completamente feminina e completamente animada. É há algo casual sobre isso, nem tudo é tão terrível. Se você olhar abertamente para algo, se torna mais comovente.”

Sobre o desenvolvimento profissional impressionante de Stewart, é casual ou uma coisa unnngh?

“Impulso de verdade e se permitir estar ao redor de pessoas que encorajam isso,” ela diz sem hesitação. Ou angústia. Mas totalmente séria.

Fonte | Tradução: Equipe Kristen Stewart Brasil